As Emoções no Setting Psicoterapêutico: Sob a Perspectiva da Análise Bioenergética

Mariana Machado de Alencar Belo Silva, Regina Coeli Araújo da Silva

Resumo


As emoções estão presentes continuamente na vida humana, registram-se na memória celular do indivíduo formando um histórico provindo das primeiras experiências psicocorporais. O objetivo principal deste trabalho foi apresentar as emoções que são evidenciadas em cada tipo de caráter descrito pela Análise Bioenergética, assim como, especificadamente, enfatizar como cada caráter lida com as emoções; promover uma reflexão sobre a influência das emoções para a eficiência do processo psicoterápico nas abordagens psicocorporais. Com base no que se encontra acerca das emoções na produção da Análise Bioenergética, esta pesquisa bibliográfica foi desenvolvida pelo método hipotético dedutivo. As emoções são o ponto de partida para o desenvolvimento do cliente no processo terapêutico, por isso precisam ser consideradas, interpretadas e acolhidas em todas as suas formas de expressão. A identificação cautelosa do caráter na Análise Bioenergética tem um papel importante, no entanto, o psicoterapeuta precisa fazer uma leitura corporal adequada e conhecer a dinâmica familiar e social, pois as pessoas podem apresentar características de mais de um tipo de caráter. Ao realizar a análise do caráter de seu cliente, o psicoterapeuta tema possibilidade de conhecer as principais emoções que possam estar represadas energeticamente, assim como as defesas psíquicas que oferecerão resistência ao processo psicoterapêutico. Os recursos psicocorporais da Análise Bioenergética poderão facilitar a entrega do cliente ao processo psicoterápico na direção de promover a liberação de emoções que estão aprisionadas no corpo do cliente. 

Texto completo:

PDF

Referências


BRANDÃO, Marcos Lira. Psicofisiologia. São Paulo: Editora Atheneu, 2000.

DELGALARRONDO, Paulo. Psicopatologia e semiologia dos transtornos mentais. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar um projeto de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

LOWEN, Alexander. O corpo em terapia. ed. 7 São Paulo: Simmus, 1977.

LOWEN, Alexander. Bioenergética. ed. 8, São Paulo: Simmus, 1982.

LOWEN, Alexander. Prazer: Uma abordagem criativa da vida. ed. 5º São Paulo: Summus, 1984.

VOLPI, José Henrique; VOLPI, Sandra Mara. Reich: Análise Bioenergética. Curitiba: Centro Reichiano, 2003.

VOLPI, José Henrique; VOLPI, Sandra Mara. Etapas do desenvolvimento emocional. Centro Reichiano, Curitiba, 2006. Disponível em: . Acesso em 14 de ago. de 2016.

WEIGAND, Odila. Grounding e autonomia: a terapia corporal bioenergética revisitada. São Paulo: Person, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.