“E esse corpo (?), tá muito diferente ...”: As construções corporais e de gênero de pessoas travestis em Juazeiro do Norte e Canindé

Antoniel dos Santos Gomes Filho, Gisafran Nazareno Mota Jucá

Resumo


Resumo: O estudo em tela, oriundo da investigação de mestrado intitulada: Experiências educacionais e sociais de travestis no Ceará: um estudo em Juazeiro do Norte e Canindé, tem como objetivo apresentar as experiências corporais de travestis em Juazeiro do Norte e Canindé, no Estado do Ceará. Metodologicamente utilizou-se de uma abordagem qualitativa exploratória, onde através da História Oral buscou-se realizar um movimento de resgate dos atores e atrizes não considerados pela história oficial. Participaram da investigação três travestis de Juazeiro do Norte, Laura Marcela e Íris, e duas de Canindé, Adriana e Valéria. O estudo é apresentado em dois grandes blocos temáticos, no primeiro realiza-se uma discussão teórica sobre o corpo e o gênero na contemporaneidade, e no segundo é apresentada as construções corporais e de gênero das pessoas travestis participantes da pesquisa.

 

Palavras-Chave: Corpo. Gênero. Travestis. Juazeiro do Norte-CE. Canindé-CE.


Texto completo:

PDF

Referências


BENTO, B. As tecnologias que fazem os gêneros. In: VIII Congresso Iberoamericano de Ciência, Tecnologia e Género. 2010. Disponível em: < http://files.dirppg.ct.utfpr.edu.br/ppgte/eventos/cictg/conteudo_cd/E8_As_Tecnologias_que_Fazem_os_G%C3%AAneros.pdf>. Acesso em: 28 Abr. 2016.

BERLANT, L.; WARNER, M. Sex in Public. In: Critical Inquiry, v. 24, n. 2, p. 547-566, 1998.

BUTLER, J. Actos performativos y constituición del género: um ensayo sobre fenomenologia y teoria feminista. In: Debate Feminista, n. 18, p. 296-314, 1998. Disponível em: . Acesso em: 20 Dez. 2016.

______. Cuerpos que importan: sobre los limites materiales y discursivos del “sexo”. Buenos Aires: Paidós, 2002.

______. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. 8. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.

CHARTIER, R. A História Cultura: entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990.

CORRÊA, S. O percurso global dos direitos sexuais: entre “margens” e “centros”. In: Revista Bagoas, n. 4, p.17-42, 2009.

DEBORD, G. A sociedade do espetáculo. São Paulo: Coletivo Periferia, 2003. [E-book].

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FOUCAULT, M. História da sexualidade 1: A vontade de saber. São Paulo: Paz e Terra, 2014.

______. História da sexualidade 2: O uso dos prazeres. São Paulo: Paz e Terra, 2014a.

GOMES FILHO, A. S. Corpo, sexo, gênero e biopolítica. In: MELO, M. A. S.; GOMES FILHO, A. S.; QUEIROZ, Z. F. (Orgs.). In: Epistemologias em confronto no direito: reinvenções, ressiginificações e representações a partir da interdisciplinaridade. Curitiba: CRV, 2017.

GOMES FILHO, A. S.; MELO, M. A. S. ANÁLISE HISTÓRICA DO MOVIMENTO LGBT MUNDIAL: DO MOVIMENTO HOMÓFILO A LIBERAÇÃO GAY NOS ESTADOS UNIDOS. In: Anais do X Colóquio Nacional Representações de Gênero e Sexualidade. Universidade Estadual da Paraíba-UEPB, Campina Grande-PB, 2014.

GOMES FILHO, A. S.; SANTOS, C. E. História da Educação e Teoria QUEER: diálogos possíveis no processo de ensino-aprendizagem. In: Revista do Lhiste, n.3, v.2, Jul-Dez, 2015.

JUCÁ, G. N. M. A oralidade dos velhos na polifonia urbana. 2. ed. Fortaleza: Premius, 2011.

KULICK, D. TRAVESTI: PROSTITUIÇÃO, SEXO, GÊNERO E CULTURA NO BRASIL. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2008.

LAQUEUR, T. La construción del sexo: Cuerpo y género desde los griegos hasta Freud. Ediciones Cátedra, Universidad de Valência / Istituo de la Mujer. Madrid, 1990. (Coleción Feminismos).

LOURO, G. L. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidades e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

MATTOS, H. História e movimentos sociais. In: CARDOSO, C. F.; VAINFAS, R. (Orgs.). Novos domínios da história. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

MIRA, A. De Sodoma a Chueca: una historia cultural de la homosexualidad em España en el siglo XX. Madri: Editorial EGALES, 2007.

PELÚCIO, L. “Toda Quebrada na Plástica” – Corporalidade e construção de gênero entre travestis paulistas. In: Campos – Revista de Antropologia Social, v.6, 2005. Disponível em: . Acesso em: 10 Fev. 2016.

PESAVENTO, S. J. História & História Cultural. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

PRADO, M. A. M.; MACHADO, F. V. Preconceito contra homossexualidades: a hierarquia da invisibilidade. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

PRECIADO, B. Manifesto Contrassexual. São Paulo: n-1 edições, 2014.

ROSENDAHL, Z, Espaço e religião: uma abordagem geográfica. Rio de Janeiro: UERJ, NEPEC, 1996.

SABATINE, T. T. Travestis, territórios e prevenção de aids numa cidade do interior de São Paulo. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2013.

SCOTT, J. W. GÊNERO: UMA CATEGORIA ÚLTIL PARA ANÁLISE HISTÓRICA.In: Educação e Realidade, v. 16, n.2, 1990


Apontamentos

  • Não há apontamentos.